SOSsego Vila Madalena

Minha foto
Vila Madalena, São Paulo, Brazil
o SOSsego Vila Madalena é um grupo de moradores do bairro que nasceu do grupo de trabalho “Diversidade e conflitos de Uso” criado na nossa Oficina do Bairro com Raquel Rolnik. o objetivo do grupo SOSsego é realizar ações e encaminhamentos junto às autoridades, para resgatar a nossa qualidade de vida prejudicada pelos excessos de uso recreacional nos bairros de Pinheiros. Somos moradores voluntários, sem interesse político. Desejamos um convívio harmonioso entre os setores comercial e residencial, para que desenvolvamos um COMÉRCIO SUSTENTÁVEL, a fim de reverter a degradação do nosso bairro. reunimo-nos regularmente na Paróquia de Sta. Maria Madalena, rua Girassol, 795. temos representantes constituídos na maioria das ruas do bairro, enviamos informes para os nossos membros por e-mail toda semana, e fazemos representações defendendo os nossos interesses em reuniões locais e no âmbito municipal. Temos feito abaixo assinado, petição, um mapeamento sonoro e debates.

domingo, 29 de junho de 2014

Informe SOSsego Vila Madalena nº101 - fracasso na operação de controle fan fest VM


1. Na sexta feira, 27 junho, a festa da copa continuou até tarde na rua Aspicuelta, com poucos torcedores mas milhares de jovens, muitos menores de idade atraídos pela oferta de namoro, e livre acesso de bebidas e drogas:

 
2. No sábado, 28 de Junho, a impressionante e custosa mega operação de por ordem nas ruas do bairro no jogo do Brasil x Chile teve um sucesso muito limitado.

 
As barreiras de acesso instaladas impediram a entrado inicial do exército de ambulantes que esperavam do lado das suas viaturas, justamente onde era proibido estacionar nas atravessas da rua Aspicuelta (Mourato Coelho, Fradique Coutinho, e Fidalga).
 

 
Os carros de som também (mesmo com muito insistência) foram negados acesso:
 

 
Porém com a chegada do público, os ambulantes simplesmente ficaram do lado de fora das barreiras vendendo as suas mercadorias sem nenhum impedimento.
 

 
Às 17h recebemos o seguinte relato de um integrante do SOSsego Vila Madalena:
 
Logo após o jogo, caminhei pelo nosso bairro e já as 17 h da tarde constatei que o que foi prometido por parte dos poderes públicos não foi cumprido.
A proibição da ação de ambulantes não aconteceu. Desde isopor pequeno, carrinhos grandes e até carros carregados de bebidas estão dentro da área que fora bloqueada, segundo eles, para exercer controle.
Apenas na R. Fidalga já estão instalados 2 carros de som-funk.
Presenciei grupos de mijões combinando de urinar fora dos banheiros por gosto. 
Os policiais que foram prometidos estão lá, nesse mesmo cenário.
Há uma ambulância sim, na R. Wisard.
As medidas para minimizar o sofrimento dos moradores e comerciantes não foram realizadas.
O que efetivamente aconteceu foi só o bloqueio das ruas ampliando o espaço de ocupação para a "festa". sem restrições.
Infelizmente continuamos sendo totalmente desrespeitados.
 
Finalmente os postos foram abandonadas pela CET e PM e as ruas do bairro viraram novamente uma terra sem lei, de dezenas de milhares de pessoas, fora de si, escorrendo num rio de xixi, cerveja, e vidro quebrado até o dia seguinte:
 

 
Bebidas e drogas circularam sem restrição:
 

 
E os carros de som tocaram nos mesmos pontos de sempre:
 


 
Muitas jovens foram hospitalizadas e hoje de manhã segui um macabro trilho de pisadas sangrentas, de dois quarteirões de extensão.
 

 
Fica cada vez mais evidente que, visto o grande risco que traz para os moradores e frequentadores, a única solução para evitar a calamidade pública no curto prazo seria interditar todas as ruas e os bares nos dias do jogo, o que traria um prejuízo merecido para os que ajudaram a criar esta zona, mas custaria bem menos para o contribuinte e para vida do nosso bairro à beira do abismo, senão logo precisaremos do Exército para pacificar a Vila Madalena, como nas favelas do Rio de Janeiro.
 
obs. Nota 10 pela limpeza da Subprefeitura de Pinheiros, realmente excepcional, mas nota zero de ter permitido as coisas chegarem até este ponto, pois não é de hoje que os bares, casas noturnas, o movimento carnavalesco e o programa "cultural" sem limites que criaram esta demanda, fazendo o que bem entendem a qualquer hora, em qualquer lugar com desrespeito total aos direitos de sossego dos moradores do bairro.
 
3. CORREÇÃO - o jogo de Argentina x Suíça é na terça feira, 1 de Junho e não na segunda feira conforme o informe nº100, sorry!
 
4. O próximo jogo do Brasil é na 6ª feira, então na ausência de qualquer esperança, estamos rezando.
 
SOSsego Vila MAdalena

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Informe SOSsego Vila Madalena nº100 - Salvem-se quem puder!

Boa noite Vizinhos.

Parabéns para nós, estamos 100! pois este é o centésimo informe do SOSsego Vila Madalena.

Foram também quase tantas reuniões nas diversas esferas da coisa pública e sociedade civil rendendo muitas conquistas para o SOSsego dos moradores desde a nossa primeira reunião em 26 de fev 2013. Mas antes disso, vínhamos trabalhando muito em prol da comunidade, desde a organização da Oficina do Bairro em 11 de novembro de 2012: http://www.sossegovilamadalena.blogspot.com.br/p/blog-page_25.html

 Agradeço a colaboração de todos que ajudaram a colocar a nossa causa na agenda municipal!

1. Hoje às 18h, a Vila Madalaena tinha clima de um exército se preparando para uma invasão, e quem podia se salvar já estava fazendo as malas, pois além do jogo Brasil x Chile de amanhã, teremos em São Paulo na segunda-feira, Argentina x Suíça com um estimado contingente de 70 a 120mil "hinchas" muitos que estão viajando em carros e "campers" desde o jogo em Porto Alegre no dia 25 de junho.
http://www.otempo.com.br/cmlink/hotsites/copa-do-mundo-2014/s%C3%A3o-paulo-teme-invas%C3%A3o-argentina-e-monta-plano-de-apoio-a-torcedores-1.872859

foto:SALVE-SE QUEM PUDER!


A CET distribuiu panfletos avisando que, a partir de amanhã até o final da Copa do Mundo, seria proibido estacionar em boa parte das ruas Fidalga, Fradique Coutinho, Mourato Coelho, Inácio Pereira da Rocha, Aspicuelta, Wisard e Purpurina, cujo quadrilátero deve ter controle de acesso durante os jogos:

Já recebemos elogios e críticas sobre a estratégia nova que visa impedir a entrada dos ambulantes e carros de som.

Entre as críticas são moradores e comerciantes que não têm garagens (pois o nosso bairro era feito de casas antigas) que estão encontrando muita dificuldade em encontrar vagas de rua. Os estacionamentos todos aumentaram as suas tarefas e temos ouvido relatos de "flanelinhas cobrando r$50 reais para "dar uma olhada".

A Dona Fátima moradora que nasceu no bairro, mora e trabalha na quitanda da família na Fradique Coutinho disse "estou sendo sacrificada pela COPA", pois não tem onde deixar sua camionete e as suas mercadorias ficam cheirando a xixi.



Não haverá feira livre na Mourato Coelho amanhã, mudando toda a rotina das famílias que compram a sua cesta ali e o comércio em geral, que não vive de turistas e cerveja, perdeu "um mês de vendas" pois a freguesia sumiu do bairro.

Hoje à noite, flagramos nas vagas vazias de comércios recém falidos duas viaturas dos novos empreendedores do bairro, que desde o começo do campeonato faturam vendendo bebida nas festas deixando uma sujeira imunda no seu rastro, para os vizinhos terem que limpar no dia seguinte:




Outra novidade hoje é o aparecimento de caçambas gigantes de lixo, que reforça o temor que o pior está por vir....



Achei oportuno divulgar o depoimento do seu Chico morador e comerciante da Aspicuelta, imigrante Português e natural de Bragança, que veio tentar a sua sorte no Brasil em 1953 e mora e trabalha no bairro desde 1957. 

"Quando cheguei ainda falavam da Copa de 1950 quando Brasil perdeu de 1 x 2 para o Uruguai. O povo estava enfurecido e vinham quebrando tudo na sua frente! A festa (da copa) atrapalha a vida mesmo, esta geração não tem a educação que meus pais me deram, é muita farra e pouco trabalho, mas não quebrando tudo, tá bom!"

O seu Chico é um sujeito de uma paz e tolerância sem igual e, para sua sorte, um pouco surdo.

foto: Chico indo para missa domingo de manhã


2. Segue um relato enviado pelo nosso integrante no Grupo de Trabalho do Carnaval e Copa 2014 do Conselho Participativo Municipal de Pinheiros, que se reuniu na quarta-feira, 25 de junho e ficou sabendo sobre os detalhes planejados pela Prefeitura para o próximo jogo do Brasil, após uma reunião deles com a PM, CET etc... e ajudaram definir algumas das estratégias novas para serem implementadas neste final de semana. 

A intenção da Prefeitura é coibir os ambulantes e assim as pessoas durariam menos nas ruas, para isso pensaram nestas medidas:


1 - Vão proibir o estacionamento em todas as ruas da região
2 - Durante os jogos do Brasil, além disso, terá bloqueio de trânsito, como houve no último jogo.
3 - Farão bloqueios de pedestres para controlar a entrada de ambulantes.


Outras medidas:


4 - Não haverá mais o telão 
5 - Vão dobrar o número de banheiros (160...)
6 - A limpeza vai começar às 2h da manhã ao invés das 5h, o que servirá para espantar as pessoas que ainda estiverem pelas ruas.
7 - Haverá uma equipe de limpeza durante todo o “evento”.
8 - O policiamento vai ser reforçado com o mesmo número de policiais até às 4h da manhã.
9 - não haverá feira livre no sábado.

A próxima reunião será na segunda-feira 7:30 na Subprefeitura de Pinheiros; a reunião é aberta ao público e quem quiser participar do grupo 
deve enviar um e-mail com o título Grupo de Trabalho do Carnaval e Copa 2014, seguido pelo seu nome para cpmpinheiros@gmail.com 

3. Integrantes do SOSsego Vila Madalena também se reuniram hoje às 16h com o Coronel Eduardo do 23º Comando e foram muito bem recebidos.
A PM demonstrou interesse em agendar reuniões periódicas com os moradores para nos ajudar, durante e depois da Copa. Aparentemente eles ajudaram a reivindicar o reforço dos banheiros (julgando pela quantidade de PM que vemos nas ruas, precisarão para não cometerem nenhuma indiscrição durante o expediente!).

Boa sorte para nós amanhã: muitos estão torcendo que sejamos desqualificados, mas não sei qual seria pior, mais jogos ou um quebra-quebra!


quinta-feira, 26 de junho de 2014

Informe SOSsego Vila Madalena nº99 - reunião sobre a copa na CPM

Boa noite vizinhos,

Anteontem à noite, 24-06-2014 estivemos numa tensa reunião do novo Conselho Participativo Municipal de Pinheiros, onde a pauta ficou centrada na "Fan Fest" Vila Madalena que um dos conselheiros descreveu como uma situação de calamidade pública.




Presentes além do Subprefeito Angelo Filardo Junior e dos nossos representantes recém-eleitos, tinham jornalistas da Folha de São Paulo e um blog estrangeiro.

O coordenador do conselho Celso Albuquerque, deu a palavra para todos presentes e agradecemos muito pelo acolhimento.

Quase todo mundo percebeu a gravidade da situação, porém devido à "diversidade" dos nossos representantes (pois temos conselheiros que são donos de bares, membros do movimento carnavalesco e militantes da ocupação do espaço público), ouvimos diversas contradições referentes a causa e solução do problema, cujas origens não são de hoje nem de ontem.

A maioria da reclamações dos moradores foram dirigidas à Subprefeitura de Pinheiros, e Sr .Angelo, depois de relatar todos esforços em face dos poucos recursos, disse que se sentia "incomodado" (que ironia!), porque a comunidade estava jogando nas costas da Subprefeitura a culpa da calamidade, e colocou a culpa firmemente na Mídia, por ter criado a demanda excessiva na Copa, pois a Subprefeitura não havia promovido o evento.

Em resposta, os moradores insistiram que tinha culpa sim, pela a falta de gerenciamento e fiscalização preventiva dos camelôs e carros de som, e da desastrosa promoção e desorganização do Carnaval 2014, que permitiu as coisas chegarem até tal ponto. 

O Sr. Angelo prometeu que, daqui em diante, iria "partir por cima", senão certamente não estará no poder para o Carnaval 2015. Vamos pagar para ver!

Outra crítica dirigida à Subprefeitura era sua permissividade com os muitos bares e casas noturnas irregulares que continuam tirando o sossego dos moradores todo final de semana, contribuindo para o clima sem lei que se instalou no bairro. Foi solicitado ao conselho uma relação de todos alvarás emitidos e todas as fiscalizações efetuadas durante a atual gestão, para verificar se existia um real empenho de tratar com o problema.

Na parte dos conselheiros houveram diversas críticas, sugestões e elogios à Subprefeitura, e também solidarizações e críticas à postura dos reclamantes.

Uma das mais pragmáticas sugestões recebidas dos conselheiros (que segue a nossa linha pleiteada desde o Carnaval 2014) foi a de gradear as entradas das ruas antes da festa, e impedir a entrada de bebida, drogas e carros de som, como feito em Nova Iorque (lá inclusive há uma lotação máxima de cada rua que, uma vez ultrapassada, é obrigada a partir para a próxima quadra). O Sr. Angelo respondeu que há falta das grades no mercado, o que achamos muito estranho - estamos sediando o maior evento esportivo do mundo - pois são comuns no município (já vistas na própria Subprefeitura), e a Subprefeitura da Lapa, que está ajudando com recursos, usou esta mesma tática na avenida Pompéia no Carnaval 2014 com muito sucesso.

Assim, desconfiamos que a bandeira da ocupação do espaço público está atrapalhando o raciocínio da nova gestão, pois o novo supervisor de cultura da Subprefeitura, Gustavo Freiberg, ativista cultural do bairro e assessor do vereador Nabil Bonduki, aproveitou a sua fala para anunciar seu projeto de futebol de rua no bairro nas próximas semanas, que contradiz a declaração anterior do Sr. Angelo de que a Subprefeitura não estava promovendo a Copa no bairro...

Em seguida o Sr. Gustavo declarou seu interesse de promover o Largo da Batata como o centro cultural da Zona Oeste, plano que, além de exportar o nosso problema para os moradores em volta do Largo, que já sofrem com a operação urbana desastrosa, possivelmente vai ajudar a consolidar ainda mais a Vila Madalena pela sua proximidade.

Quem quiser se entregar no Grupo de Trabalho do Carnaval e Copa do Mundo, deve enviar um e-mail com este mesmo título de assunto, seguido pelo seu nome para cpmpinheiros@gmail.com

Segue abaixo convite recebido para evento no dia 27 de Junho que, independente da cor da bandeira, me parece revelante devido à insegurança que nós estamos passando.




segunda-feira, 23 de junho de 2014

Informe SOSsego Vila Madalena nº98 - a prefeitura apoia a fun fest Vila Madalena

Boa noite Vizinhos,
 
1. segundo a reportagem do Estadão do sábado dia 23 de junho http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/vila-madalena-copa-faz-governo-criar-for%C3%A7a-tarefa a vice-prefeita, cujo nome adequado é Nádia Campeão, achou a Vila Madelana "uma surpresa positiva" e "escolha interessante" para a cidade e o mundo afora fazer a sua festa sem parar da COPA 2014.
 
Em reunião na sexta feira com os secretários Chico Macena, da Secretaria de Coordenação das Subprefeituras, e Simão Pedro, da Secretaria Municipal de Serviços (mas sem representantes do bairro), definiram estratégias para o bairro e, sem divulgar o número de agentes, prometeram a fiscalização desde ambulantes irregulares até comerciantes que estejam desrespeitando as regras do Programa de Silêncio Urbano (Psiu).
 
Ao amanhecer no dia seguinte, para o alívio dos moradores e a graça do movimento contra a verticalização, a promessa de apoio que esperamos desde a reunião do CONSEG no dia 02 de junho, parecia finalmente estar se realizando com o aparecimento de banheiros químicos nas ruas.
 
Foto: "MIXitório" Vila Madalena


 
Mais ao anoitecer, percebemos que a promessa da Prefeitura se tratava de mais uma mentira e traição, pois continua a entrada livre dos ambulantes de bebida, carros de som junto aos novos comércios improvisados, instalados em estacionamentos e corredores que fizeram das ruas um pancadão sem limites até o dia seguinte.
 





 
Quando solicitados a abaixar a música, os "comerciantes" fazem ameaças de retaliação e temos vários casos de moradores vulneráveis que tiveram que abandonar as suas casas há 10 dias e procurar refúgio com amigos.
 
Em entrevista de hoje, o Wilson Poit do SP Turis também diz que a Vila Madalena virou uma outra FAN FEST e que eles estavam fazendo de tudo para dar o melhor suporte possível....
 
Enquanto o turismo, a AMBEV, a FIFA e os bandidos estão faturando com a festa, os moradores e comerciantes honestos do bairro pagam o mico, e independente de quem ganhar o campeonato, a morte da Vila Madalena como conhecemos continua.
 
2. visto que não fomos convidados para a reunião na sexta feira, lembramos que na terça feira, 24 de junho, às 20:00 vai ser a próxima reunião do Conselho Participativo Municipal na Subpretura de Pinheiros. Como o Subprefeito deve fazer uma apresentação das responsabilidades e organização da Subprefeitura e a reunião é aberta ao público, pode ser uma oportunidade para descobrir por que pancadões fazem parte da agenda municipal.
 
3. Para terminar, seguem comentários sobre a FAN FEST Vila Madalena, recebidos da comunidade:
 

"É muito dinheiro entrando no bolso deste pessoal e nós continuamos pagando alto por isso"

"Salve-se quem puder !!!!
E aí me pergunto: se na Copa, tudo isso acontece espontaneamente, apenas pela divulgação da midia televisiva, isto é Rede Globo e Globonews; e, no Carnaval é promovido pela prefeitura de forma organizada, com estrutura que, apesar de precária, inclui banheiros químicos, qual a solução?
O bairro da Vila Madalena não comporta esse volume de atividades de entretenimento.
Quem irá defender os interesses da população fixa do bairro - moradores e comerciantes - diante do comportamento predador de quem usa o bairro como um bando de gafanhotos e depois vai embora deixando o caos para administrarmos?
E a polícia não intervém para evitar um mal maior?  E cadê o Esquema Especial de Segurança previsto para a Copa do Mundo.  Se ele existe - e funciona - para a Fun Fest do Anhangabaú que é o ponto de encontro oficial dos torcedores, também deve ser deslocada para a Vila Madalena que tanto espontaneamente quanto por divulgação da mídia virou o ponto de encontro alternativo dos torcedores, principalmente dos turistas que vieram a São Paulo.
Pelo visto a organização da Copa em São Paulo não se preparou para esse tipo de imprevistos.  E a população fixa da Vila Madalena é que paga o pato...
É desesperador..."


"Nasci aqui morei na mesma casa da Rua Medeiros de Albuquerque
Meus pais moram aqui até hoje.Por circunstâncias da vida voltei para Vila .
Moro com eles faz dois anos percebi uma extrema mudança na nossa Rua.
Meus vizinhos são todos antigos moram ou trabalham há no mínimo 12 anos .
Nossa casa dá fundo ao beco do Batman  .
Já ouvi pessoas sendo assaltadas.
Todas as noites inclusive às segundas os carros passam com som alto.
Por ocasião da copa até às três da manhã passavam pessoas bêbadas ,gritando ,fumando ,se drogando,soltando fogos, pois o Beco não possui luz.O que facilita a multidão a se soltar !
Acham que ninguém mora nas casas que dão os fundos para ele (beco).
 
Na esquina da Medeiros temos o Bar Camará que era um sambão.
Na copa eles tocaram rock muito alto até ás 23h .
Além do transtorno causado na entrada da Medeiros pelos carros estacionados nas garagens dos moradores .
Os jovens perderam o senso pois, quando volto para casa tenho receio .Acham que a Rua lhes pertence.
Então que fazer?
Minha preocupação não é só a Copa, essa noite mesmo acordamos !
Em minha casa há´dois idosos e minha filha de 11 anos .
Na Rua Harmonia sempre às 6 h da manhã um fanqueiro, pagodeiro coloca som alto.
Estão construindo casas de shows na rua Harmonia.
Que de Harmonia não possui nada só o nome.
Pelo menos no início dela! "

"estou as ordens, mas deixei o bairro. Hoje. Mudei. O barulho diuturno da rua Rodésia me venceu. Mas meu depoimento pode ajudar a melhorar a qualidade de vida no bairro"

"Bom dia, sou moradora do novo prédio da Fidalga "Soul Madá" (entre Inácio e Aspicuelta). Nossa vida está um inferno com a copa, com pessoas urinando todo dia em nossas dependencias, querendo fazer sexo, hostilizando nossos porteiros, além de carros de som no último volume e utilização de drogas. Os poucos policiais que aparecem dizem que nada podem fazer. Como somos todos novos no bairro, gostaria que a SOSsego Vila Madalena nos dissessem o que pode ou não ser feito a respeito, a quem podemos nos juntar nessa luta, e qual o histórico de ação de vocês. Muito obrigada e abraços desesperados."

"Minha solidariedade a você e todos os moradores da Vila Madalena. Realmente, as festas da Copa extrapolaram além da conta. Poder público e sociedade civil precisam se unir para organizar a vida cultural e o lazer na cidade de uma forma mais sensata. Fico feliz que a repercussão da mídia esteja acontecendo, pois isso vai pressionar a prefeitura a agir."
"escrevo-lhe para manifestar a minha solidariedade.
Fiquei chocada ao saber que invadiram “fisicamente" a sua casa e também pela atitude do inconveniente torcedor ao tomar conhecimento que vc não é nascido no Brasil. Sinto-me vivendo numa barbárie onde vencem os mais fortes uma vez que limites não existem.
Sou moradora da Praça Benedito Calixto e tenho participado das reuniões. Entendo que devemos manter o movimento pela direito de vivermos em paz dentro das nossas casas até que esta situação tome outro rumo. Compreendo que vc esteja muito desgastado pela repetição dos fatos mas, por outro lado, não vejo outra alternativa que não seja continuarmos unidos pela recuperação dos nossos direitos."

"Aqui na aspicuelta com Simão alvares  também estamos com problemas generalizados: som alto sem previsão para acabar, brigas, falta de banheiro, veículos na contramão, vendedores ambulantes, lixo... Uma vizinha foi agredida em frente à sua casa! A polícia esteve aqui e disse não poder fazer nada...
Vamos fazer um abaixo assinado contra mais este abuso?"

"Li tudo e fico estarrecida com o que vem acontecendo com este bairro. É revoltante e estamos com as mãos amarradas. O poder público veio para detonar tudo e todos aqueles que seguem as leis e pagam impostos.
Dormir ficou uma tarefa difícil, pois não há mais respeito às pessoas que trabalham .
Hoje, vi o caos instalado pela Vila e o fedor de urina por todo o bairro, sujeira por toda a parte. Ficamos reféns deste desmando gestão e da desordem que assolam esta cidade.
Estive na Europa no mês passado e eu e meu marido (belga) estamos pensando seriamente em voltar a morar lá.
Esta terra virou terra de ninguém. É triste isto!
Onde iremos parar?
Eu também solicitei a presença da polícia devido ao "bar" irregular que está nos infernizando e nada."

"só quero dizer que lamento muitíssimo que a situação tenha chegado à esse ponto.
é uma lástima que esse bairro outrora tão simpático acabe desse jeito, por absoluto descaso do poder publico.
daqui a algumas horas parte dessa turma de torcedores (?!) vai debandar para cá, já suficientemente embriagados
e o transtorno será de quem mora aqui.
provável que teremos mais uma "noitada" daquelas, que enfrentamos todos os finais de semana.
aqui tb virou uma terra sem Lei.
só uma administração míope é capaz de provocar esse abismo entre a cidade e seus moradores."

"Sou solidária aos seus esforços, cerveja + barulho + especulação imobiliária = ruína da qualidade de vida dos bairros tradicionais, com seus laços de amizade entre moradores. Por um convívio equilibrado e sem exclusão econômica, essa é a cidade que desejamos!"

"pois é vivemos momentos 10mil vezes piores que no carnaval, a nossa rua, com 10 residencias e 2 comerciais, com 90% de moradores bem idosos e ou doentes , foi tomada de assalto pelosalegres" torcedores", que nem ao jogo assistiram! ficaram bebendo urinando defecando vomitando, jogando lixo e mais lixo. na medida que foi escurecendo começou a pornografia explícita, bombinhas e bombas jogadas nos jardins quintais e milhares de seres embriagados ,SEM TEREM BANHEIRO QUÍMICO, VINDOS DE TODOS OS CANTOS DA VILA E LAVANDO A RUA COM O LÍQUIDO FÉTIDO, QUE ESCORRIA PELAS SARJETAS....
O SR MARICATO SABE QUE O COMERCIO INSTALADO PADARIAS BARES TIVERAM QUE FECHAR SUAS PORTAS? SABE QUE O BAR XXXX FOI DEPREDADO, POR NÃO DEIXAR USAR O BANHEIRO?
os camelos se instaram na porta de casa colocaram bancos e a´meu protão foi interditado até 3 horas da manhã? além da bagunça, o lixo, e que lixo!
a própria Globo que estimulou o povão para vir a vila, de manhã criticou e mostrou várias vezes as cenas deprimentes e criticou : milhares de pessoas sem INFRAESTRUTURA NENHUMA...
CADÊ A PRESENÇA DO SUB?, DO PREFEITO, DO SECRETÁRIO , DA FIFA??
HOJE ERA IMPOSSÍVEL CAMINHAR DESDE A TEODORO ATÉ A PARTE ALTA DA VILA SEM SENTIR O AROMA EMBRIAGADOR DE FLOR DO XIXI
azar de quem mora aqui, de quem tem escritorio, do comercio em geral.. bairro turístico polo cultural? aonde fica tudo isso?"

"Estamos sendo muito permissivos com a prefeitura . Como a humanidade só sabe lidar com cifras $ , acho que a única solução é pagarmos o IPTU em juízo ! Este imposto será repassado para a prefeitura somente quando tivermos nossos pedidos atendidos ( o que mais me preocupa é a SEGURANÇA nestes dias de festa !"

"Não acho contudo que as incorporadoras sejam as culpadas pela degradação da Vila Madalena. São apenas aves de rapina que se aproveitam da degradação da região e desvalorização dos imóveis. Os culpados são as autoridades. O poder público. Sua omissão. Sinceramente não sei quem é que compra um apartamento novo na Vila Madalena. Suponho que não conheça a real situação. Eu não compraria.........O pior é o fogo amigo, da turma que acha que o espaço público tem que ser de livre uso. Onde cada um faz o que quer. Não é. Tem que haver regramento mínimo de uso para que todos possam conviver. O que pode e o que não pode. Vejo na ocupação das calçadas da Vila Madalena  pelas mesas de bares a mesma deturpação do uso do espaço público. Calçadas são para pedestres se deslocarem. E as da Vila Madalena já tem as dimensões mínimas ou mesmo inferiores as necessárias. Simplesmente não há como dividir o espaço com as mesas e cadeiras dos bares. E agora cada vez mais os clientes começam a ocupar também as ruas. Loucura pura."


"Parece que será uma longa e árdua batalha, onde o cidadão que paga impostos e tem respeito às outras pessoas acaba sendo marginalizado por este (des)governo populista."

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Informe SOSsego Vila Madalena nº97 - As ruas de bairro virarem terra sem lei

Boa noite vizinhos,
 
Seguem entrevistas e matérias sobre a terra sem lei que se instalou no bairro, desde que começou a Copa, mas antes de tudo, recebemos um convite do SBT que quer escutar os moradores em entrevista coletiva na esquina da Aspicuelta com Fidalga às 06:50 da manhã nesta sexta-feira (20/06/14) - compareçam!
 
1. Segue a matéria do Kleber Tomaz do G1 http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2014/06/moradores-querem-restringir-carnaval-de-rua-na-vila-madalena-durante-copa.html - uma das muitas entrevistas concedidas à imprensa nos últimos dias.
 
2. A nossa amiga e vizinha Deise Marques do Jornal "O Madalena" está de volta com a matéria Copa: sobre leis em jogo na Vila Madalena (http://www.omadalenasp.com.br/site/index.php/pt/ a jornalista Teresita Dussart, da La Libre Belgique, que atua como correspondente na Argentina, também se interessou pelo assunto e já está divulgando em suas redes.
 
3. A terra sem Lei.
A caos continua no bairro toda noite desde o dia 12, com seu epicentro sendo nas ruas Aspicuelta, Fidalga, Fradique Coutinho e Mourato Coelho, que viraram uma terra sem lei, onde quase tudo é permitido, e a presença policial é apenas simbólica, pois temem que qualquer intervenção possa causar uma consequência violenta ainda maior.
 


 
A promessa da Subprefeitura de fiscalizar os ambulantes de bebida na reunião do CONSEG no dia 02 de Junho não se materializou e todo dia, lá pelas 16:00 da tarde, começam chegar as camionetes de abastamento que descarregam as cargas nas ruazinhas laterais e seguem em carrinhos com isopor e gelo.
 
Outro problema são os carros de som e comércios improvisados em espaços alugados que fazem pancadões e raves a noite inteira, como este na rua Fidalga, que expulsou as famílias das suas casas ao seu redor há 4 dias seguidos, sem que a autoridade pública tomasse qualquer medida.
 

 
Tanto a Policia Militar quanto a Subprefeitura dizem que nada podem fazer. Hoje à noite o Subprefeito foi visto no local, mas para a descrença dos moradores tudo, continua igual.
 

 
Recebemos relatos de que um torcedor foi espancado até a morte na Fradique Coutinho, na madrugada da quinta-feira, e há um sentido geral de que realmente o bairro virou uma terra sem lei.
 
4. Rios de xixi e rios de dinheiro.
Segundo relatos da Subprefeitura, foram retiradas 40 toneladas de lixo só depois do último jogo do Brasil.
 



Se uma latinha de cerveja vazia de 350ml pesa 15g, e uma garrafa vazia de 355ml pesa 205g, podemos chutar que 1kg de lixo pós-festa representaria pelo menos 1 lata e 2 garrafas (pois os catadores recolhem as latas). 40t de lixo então daria uns 80mil garrafas e 40mil latas mas visto que vendem 4 vezes mais latas de que garrafas, podemos estimar mais umas 320mil latas. Ou seja, foram consumidas em torno de uma inacreditável 154 mil litros de cerveja, para depois virar 120 mil litros de xixi (um pouco deve ser exportado para outros bairros ou vomitado).
 
Supondo que 80% das marcas consumidas foram de AMBEV e que, depois de pagar seus impostos lucram em torno de r$1,42 por litro, a AMBEV e seu "sócio", o Governo, que cobra em torno de 50% na forma de imposto, ganharam no dia do último jogo apenas com o comércio irregular aqui no bairro, em torno de r$218 mil cada. Sem falar quanto o comércio regular e os ambulantes faturaram.
 
Agora pergunto: o que os moradores do bairro ganharam com isso?
 
No mínimo merecemos alguma "compensação ambiental" pois todo final de semana eles ficam ganhando ao custo da nosso qualidade de vida.
 

Que tal a TAXA de CERVEJA da Vila Madalena, em ano de eleição? será que não há algum vereador que não quer apoiar a nossa causa?

terça-feira, 17 de junho de 2014

Informe SOSsego Vila Madalena nº96 - Caos na Vila Madalena no 2º jogo do Brasil

Boa tarde Vizinhos,

1. informamos para quem conseguiu fugir do bairro, o segundo jogo do Brasil na Copa bateu o record de público e de transtorno para um evento esportivo, a conta deve passar de dezenas de milhares de torcedores.


As ruas Aspicuelta, Fradique Coutinho, Fidalga e Mourato Coelho foram fechadas pela CET por serem intransitáveis e a prometida fiscalização dos ambulantes de bebidas não se concretizou, os poucos fiscais da prefeitura ficaram impossibilitados de se deslocarem, e devido à nova lei dos "food trucks" a quantidade dobrou em comparação com o Carnaval de 2014.




Já recebemos vários relatos do jogo no dia 12 de Junho de moradores que ficaram sitiados em casa, a mercê da gritaria, buzinação, motos aceleradas, sujeira e rios de urinação nas calçadas, carros de som e festas de bares irregulares que duraram até o dia seguinte. O caos perdurou durante o final de semana, e em várias ruas a coleta do lixo do sábado à noite só foi efetuada hoje à tarde (terça-feira).
Enquanto eu escrevo este informe (pois com o barulho por toda parte não dá para trabalhar), este cidadão subiu por conta própria até o segundo andar da nossa casa procurando um banheiro! (a mesma coisa aconteceu no Carnaval)
Depois de feito seu serviço, de tão bêbado, não quis ir embora e quando ficou sabendo que era estrangeiro começou xingar a nossa família por "estar vivendo dos impostos dele" (enfim, 50% do custo de cerveja é imposto) Dois Guarda Civis (GCM) passando na frente não quiseram saber (ser um diretor do CONSEG não vale para muito) e tivemos que fechar o portão do nosso comércio para se livrar do sujeito. Hoje à noite a festa promete muito mais diversão para quem não mora por aqui...

2. Em entrevista para o Guia da Vila deste mês Dr. Percival Maricato, morador e sócio de bares de 40 anos no bairro, advogado e fundador e diretor jurídico da Abrasel – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes exaltou os benefícios da Copa do Mundo no bairro e diz que seu faturamento vai dobrar:
"Para o nosso segmento e o comércio em geral, e também para a população, sempre é bom esse
tipo de evento. É uma época em que todo mundo fica mais alegre e todos querem comemorar. E as
pessoas acabam saindo mais e procurando bares e restaurantes.
Acho que todas as atividades
acabam ganhando com isso"
Com todo respeito, acredito que o ilustre Sr. Maricato não conhece tão bem o nosso lado do bairro, pois a maioria dos comércios (que antes eram moradias) que ofereçam algo que não seja cerveja, estão quebrando um atrás do outro, deixando as ruas "sem lei" e terreno fértil para as incorporadoras darem (emprestando uma frase nazista) a sua "solução final" de verticalização, e o eventual extermínio da comunidade moradora antiga e a diversidade que antigamente era a essência do bairro.
Foto: viatura de ambulante de bebida com moradores de rua no estacionamento abandonado da antiga loja "Santa Paciência" e "Gafaritos" na rua Fradique Coutinho, 944.


Porém não são apenas as incorporadores ficando ricas com a guerra de transformação no bairro, pois sabemos que quem está bancando os Bares e a festa é o grupo AMBEV. Recebemos hoje um relato de um profissional da área que a AMBEV está "financiando" bares no bairro em troca de venda exclusiva dos seus produtos, como por exemplo um local conhecido na rua do Fórum que, segundo a nossa fonte, recebeu 1 milhão de reais para reabrir uma mega choperia.
Vamos ver se a AMBEV quer comprar a nossa casa recentemente colocada no mercado, por 1 milhão, e podem se livrar de mais um morador "pentelho".

3. segue mais um trecho da tese de Francisco Saes da FAU-USP sobre a apropriação do espaço público no bairro da Vila Madalena, cujo orientador é nada menos que o Professor Dr. Cândido Malta Campos Filho.
Na sua incansável pesquisa o Francisco descobriu uma matéria desconhecida da consagrada socióloga Norte Americana Sharon Zukin http://en.wikipedia.org/wiki/Sharon_Zukin quem percebeu antes de muitos que moram por aqui o destino do bairro:

Sharon Zukin ao ter contato a Vila Madalena, percebeu as mudanças que lá foram operadas e teceu as seguintes considerações:
Ás vezes as classes médias formam involuntariamente um mercado, ao criar para si um novo lugar na cidade. Esse novo lugar torna-se um símbolo tão interessante – especialmente quando é um símbolo de inovação cultural – que institui um mercado para este espaço. Embora esta temática não seja bem conhecida na América Latina, o bairro da Vila Madalena talvez seja um exemplo de espaço de sociabilidade e de consumo cultural, criado por alguns intelectuais e pessoas de classe média, que se torna um estímulo para um mercado de restaurantes, bares e apartamentos mais caros. Por fim, os que criaram o lugar são expulsos pelos aluguéis e preços mais altos; aqueles que idealizaram e criaram o lugar precisaram mudar-se de lá. Esse processo de melhoramento urbano e deslocamento devido à ação do mercado privado e não ao planejamento do Estado é denominado “enobrecimento”.
(Sharon Zukin, 2000, p.108 O espaço da Diferença, Antonio Arantes org, Papirus Editora) 

domingo, 15 de junho de 2014

Informe SOSsego Vila Madalena nº95 - notícias do CADES-PI.

Boa noite Vizinhos.
1. Na quarta-feira, dia 11-06-2014 houve a reunião ordinária do CADES-PI na Subprefeitura de Pinheiros.

Por iniciativa espontânea de representantes da comunidade presentes, a pauta foi dominada pelo uso excessivo "cultural" do espaço público que judia tanto a nossa qualidade de vida.
Os moradores em volta da praça do Por do Sol propuseram a transformação da praça em parque como uma maneira de coibir abusos noturnos dos frequentadores e garantir uma verba maior para implantar uma infraestrutura melhor.
Em seguida, um morador apresentou um relato sobre conflitos de uso semelhantes na quadra poliesportiva do colégio Olavo Pezzotti como festas funk e frequentadores agressivos que ocupam o espaço até a madrugada.
Depois, foi abordada o tema do Parque Linear Rio Verde, cuja elaboração do projeto tomou r$147.000 de verba compensatória ambiental (e com um custo estimado de implementação de r$9 milhões) sem sequer consultar os moradores da rua Gonçalo Afonso se ali queriam um palco de eventos em uma rua residencial, que já sofre pelos excessos diários de frequentadores.
Na contra-mão das diversas reclamações sobre a ditadura cultural sendo imposta na região, uma professora da secretaria de educação que atua nas escolas CEUs, e que se orgulha de atuar num "governo popular", defendeu o direito dos jovens de terem o seu horário, e questionava o uso da polícia para tratar com problemas de ruído.
Opinião pessoal: Ao sugerir em dar uma aula sobre a diferença do espaço público e privado aos moradores intolerantes do bairro, a professora aparentemente deixou de considerar o que está faltando na educação de muitas pessoas quem se formaram na última década, e não sabem delinear o limite do seu direito com o direito de outro ser humano.
A falta de limites culturais na formação de jovens pobres ou ricos pode ser devastadora nas suas vidas, e efeitos nocivos na sociedade em geral, como bem exemplificado na trágica história do jovem estudante de 18 anos, Lucas Lima, organizador dos rolezinhos nos shoppings, que foi espancado até a morte em um baile funk no dia 05 de abril passado. http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/04/1436983-organizador-dos-rolezinhos-morre-apos-briga-em-baile-funk-na-zona-leste.shtml
2. Além de ter recebido vários relatos sobre novos e barulhentos bares que estão abrindo no bairro, aproveitando a cada vez mais frouxa fiscalização, temos um novo participante que se propôs a ajudar a abrir um CNPJ e constituir formalmente a SOSsego Vila Madalena como associação de moradores, assim legitimando qualquer reivindicação jurídica.
Vamos marcar uma reunião para formalizar a proposta?
3. Para terminar o informe de hoje, estamos anexando a próxima de muitas entrevistas, com uma moradora e comerciante do bairro e participante do SOSsego Vila Madalena, da tese de Francisco Saes da FAU-USP sobre a apropriação do espaço público no bairro da Vila Madalena, cujo orientador é nada menos que o Professor Dr. Cândido Malta Campos Filho.
entrevista Sra. K
Achamos muito pertinente o seu comentário sobre um projeto de governança popular:

"O Plano Diretor deixou de ter qualquer cuidado com a qualidade de vida dos moradores. Que seja uma ZEPEC, que seja um corredor de ônibus, não considera a qualidade de vida dos moradores. Porque está considerando a macro região consolidada como se fosse estritamente um lugar da classe média alta. E que a periferia está sofrendo por causa do nosso lugar privilegiado? E plenamente isso é uma conversa eleitoral para ganhar votos nas periferias!!! Porque de maneira alguma a gente obriga a periferia ter uma vida desigual!!!"