SOSsego Vila Madalena

Minha foto
Vila Madalena, São Paulo, Brazil
o SOSsego Vila Madalena é um grupo de moradores do bairro que nasceu do grupo de trabalho “Diversidade e conflitos de Uso” criado na nossa Oficina do Bairro com Raquel Rolnik. o objetivo do grupo SOSsego é realizar ações e encaminhamentos junto às autoridades, para resgatar a nossa qualidade de vida prejudicada pelos excessos de uso recreacional nos bairros de Pinheiros. Somos moradores voluntários, sem interesse político. Desejamos um convívio harmonioso entre os setores comercial e residencial, para que desenvolvamos um COMÉRCIO SUSTENTÁVEL, a fim de reverter a degradação do nosso bairro. reunimo-nos regularmente na Paróquia de Sta. Maria Madalena, rua Girassol, 795. temos representantes constituídos na maioria das ruas do bairro, enviamos informes para os nossos membros por e-mail toda semana, e fazemos representações defendendo os nossos interesses em reuniões locais e no âmbito municipal. Temos feito abaixo assinado, petição, um mapeamento sonoro e debates.

domingo, 1 de março de 2015

Informe SOSsego Vila Madalena nº131 - o Carnaval acabou mas a luta continua

Boa tarde Vizinhos.
 
Peço desculpas pelo acúmulo de notícias a serem relatadas:
 
1. Na quarta-feira tivemos uma reunião no Gabinete do Vereador Ricardo Young para discutir os problemas do Carnaval e das noites sem fim da Vila Madalena.
 
Evitando a qualquer custo politizar a causa, devidao à importância dada ao assunto na mídia e na opinião pública, penso que não tem mais como evitar que o tema entre na esfera legislativa, enfim a nova Lei de Uso e Ocupação do solo se aproxima e não podemos ficar de fora.
 
No primeiro instante ficou acertada uma reunião preliminar daqui a um mês, com a comunidade aqui no bairro, para documentar os problemas e, se concordarmos, levar posteriormente para um fórum multipartidário, na Câmara com o intuito de encontrar soluções para os impactos de vizinhança e degradação do bairro, através de mediação em termos iguais entre a sociedade civil (moradores e comerciantes), a Prefeitura, e o MP.
 
2. Na mesma linha, recebemos ontem cópia da curiosa carta em anexo do Chefe de Gabinete do Vereador Jair Tatto endereçada ao Prefeito Fernando Haddad que, mesmo sendo do mesmo partido que apoiou o Carnaval de Rua, aparentemente cobra uma posição do Prefeito referente a nossa solicitação de redução de dias do Carnaval no bairro.
 
Resumindo, o meio político e cotidiano da cidade de São Paulo pode ser guiada por motivos econômicos, mas também por intenção de votos na próxima eleição e o Carnaval na Vila Madalena virou uma bomba relógio que precisa ser desarmada até lá.
 
3. Nova campanha
O nosso "filmezinho" no YOUTUBE (termo usado pelo sub na reunião do MP) da 6ª feira 13, já está chegando à 54 mil visualizações, porém os blocos também estão fazendo ibope na internet, pois o "Vai Quem Qué" já arrecadaram de maneira "espontânea" r$25.510 no site de "Crowd Funding" Catarse:
 
 
Daí surge a pergunta: por que não fazemos o mesmo para arrecadar fundos, bancar um advogado, material impresso, e uma causa na justiça pedindo ressarcimento do IPTU e ressarcimento de danos pela Prefeitura?
 
4. Balanço do Carnaval
Segue link da excelente matéria da Gazeta de Pinheiros que conseguiu demonstrar com clareza o abismo de pensamento que existe entre os "atores" que promoveram o Carnaval de Rua no Bairro e os direitos da comunidade.
 
 
NABIL BONDUKI (Secretário Cultural de Cultura) - “Uma questão que é fundamental é separar o que foi o Carnaval de Rua dos blocos daquilo que foi uma invasão da Vila Madalena"
-O nosso doutor de urbanismo e revolução cultural recusa-se a relacionar causa e efeito, pois foi justamente o apoio da Secretaria de Cultura dado aos blocos que atraiu o público para o bairro, e ainda insiste que houve "apenas" 37 blocos, enquanto os desfiles passaram de 100. Do desastrado urbanismo petralho promovido por Nabil lembramos a frase do Voltaire "O mais competente não discute, domina a sua ciência e cala-se".
 
WAGNER SOARES (chefe de Gabinete da Subprefeitura de Pinheiros): "Outro fato negativo, na minha opinião, foi colocar o Carnaval na Avenida Paulo VI, um medida imediata para solucionar um problema. Estes blocos deveriam estar em outra região, pois atingem de 30 mil a 60 mil pessoas em um dia, no mesmo dia e horário em que um público de tamanho semelhante está na Vila Madalena. Quando termina este evento oficial, o pessoal acaba indo para o bairro, para ruas como Aspicuelta, Fradique Coutinho e Wisard. O poder público precisa entender que este fato é um evento, não é um fato espontâneo"
 
Até que enfim caiu a ficha que a farra não tem nada de espontânea, pois trata-se de promoção da privatização do espaço público.
 
CÁSSIO CALAZANS (presidente da Sociedade Amigos da Vila Madalena -Savima) "Não adianta ter mais de 60 blocos e seis finais de semana, o bairro não aguenta"
 
-Abrigados no seu contêiner no Mourato Coelho, Cássio e Wagner Soares assistiram pelas suas câmeras de segurança a destruição do bairro por vários finais de semanas seguidos, sem poder socorrer os moradores sitiados e, ironicamente, ainda recebi ameaça de processo civil se divulgasse as nossas filmagens das autoridades.
 
TOM GREEN (coordenador do SOSsego Vila Madalena) “Para amenizar os transtornos do Carnaval de Rua na Vila Madalena no ano de 2016, basta a Prefeitura atender às nossas demandas protocoladas em setembro de 2014, apoiadas com 1.424 assinaturas da população moradora local e comerciantes do bairro, que foram desconsideradas em 2015" -apenas no último final de semana do Carnaval, algumas das nossas demandas foram atendidas, surtindo efeitos positivos.
 
MADALENA BUZZO (conselheira eleita do Conselho Participativo Municipal de Pinheiros) "Neste ano tentamos estabelecer por meio do Grupo de Trabalho para o Carnaval um diálogo desde a Copa do Mundo entre blocos, poder público e moradores"
 
-Parabéns pelo belo trabalho Madalena, demonstrou perfeitamente o caminho dos conselhos populares - veja a coluna do Carlos Ayres Britto no Estadão "temo pelo pássaro da cidadania a trocar o vôo pelo saltitar na gaiola dos conselhos populares ou coisa que valha"
 
 
 
5. Adeus Angelo Filardo.
 
 O carnaval da Vila Madalena acabou, e junto vai um dos responsáveis pela organização do evento conforme a post na sua página do FB.
 
"Amigos, saiu hoje minha nomeação para o cargo de professor da FAU (Diário Oficial do Estado de hoje, 28/2, cad. Executivo II, pp. 129-130), em regime de tempo completo (RTC, 24h semanais). Gostaria de tornar de conhecimento dos amigos algumas informações, porque o ambiente anda bem envenenado e informação previne fofoca.
1. Após três passagens pela Fau como temporário, inscrevi-me em dois concursos em RTC a cerca de um ano atrás, regime compatível com o exercício de função tecnico-cientifica. Fui indicado no segundo deles. Para conseguir me preparar para o concurso, tirei 50 dias de férias. Informação importante para quem eventualmente quisesse afirmar que prejudiquei o Povo de São Paulo estudando enquanto deveria cumprir meus deveres de subprefeito.
2. Os dois concursos foram divulgados pelos meios usuais, o mais acessivel deles (que eu vinha acompanhando e pelo qual fiquei sabendo do Edital) sendo o site da USP, link 'editais e concursos' da pagina inicial. Nos dois casos, acabaram concorrendo apenas dois candidatos. Eu não entrei no primeiro e entrei no segundo. O perfil ideológico dos candidatos era bastante homogêneo. Essa informação é relevante para aquelas pessoas, amigos inclusive, que acreditam que os petralhas são capazes de aparelhar até banca da USP. Vergonha alheia, peço desculpas aos colegas da Universidade por ter que escrever isso.
3. Segredo cuidadosamente escondido na pg. 42 do DOE de 14/01/2015, terei que deixar o cargo de subprefeito, voltando à condição de arquiteto de carreira da Prefeitura. Farei isso a contragosto, até o final de março, aproximadamente, como condição para assinatura do contrato docente. Deixo uma tarefa pela metade, fico devendo a todos os que vinham confiando em mim neste tempo em que estive à frente da subprefeitura de Pinheiros, mas não poderia deixar passar o que seria minha última chance, aos 53 anos, de ingressar na Fau, um sonho dos poucos que me permiti nos últimos anos".


Entre os que lamentam a saída na página do Angelo deve ter alguns dos "empreendedores" noturnos do nosso pedaço beneficiados por alvará de funcionamento concedido durante a sua gestão de maneira bastante suspeita, mesmo não atendendo as mínimas condições de isolação sonora ou segurança e até em vias cuja largura não permite qualquer tipo de comércio, colada com residências de moradores bastante vulneráveis, pobres, idosos, crianças e trabalhadores.
 
O resultado de tal irresponsabilidade administrativa já esá aparente, a degradação do ambiente, o acossamento e fuga dos moradores e comércios tradicionais em volta, tudo em nome da privatização do espaço público.
 
Devemos ponderar se a referida "tarefa pela metade" será concluída pelo seu sucessor, com a extinção por completo da vida residencial na baixa Vila Madalena.
 
6. Apoio acadêmico
 
Esta visão diaspórica é compartilhada pelo seu colega da FAU, Franscisco Saes, que se deu ao trabalho de reconhecer os direitos dos moradores na sua tese de Mestrado sobre a apropriação do espaço público no bairro e nos dedicou este testemunho após o Carnaval 2015.
 
"Aos moradores restam dois caminhos face aos fatos que se apresentam: vender seu quinhão de chão/lar, pegar seu dinheiro e mover-se para um enclave condominial no Km X ou Y da Rodovia A ou B (e contribuir para o movimento pendular trabalho-residência, prejudicando ainda mais a mobilidade na cidade e ficando refém do carro) ou permanecer no bairro e através de uma posição firme e pautada por reivindicações e luta pela moradia saudável e possível no local, exercendo sua face cidadã, de direito à cidade e cobrando do Estado um planejamento real. Minha leitura do bairro indicou conflitos maiores do que eu suspeitava e que há anos vem correndo e se agravando. A tal ponto que durante a Copa do Mundo a situação chegou ao seu extremo, com o bairro transformado em terra de ninguém, o que tem continuidade com o Carnaval. Até os bares foram fechados por invasão e casas e prédios sofreram com a sujeira, barulho e drogas na região e um afluxo de pessoas que beirou a insanidade".
 
7. Essa reclamação não tem prazo para ser atendida
 
Mais uma das promessas do Sub Prefeito era a descentralização do PSIU e reforço para a região Pinheiros, mas mesmo entregando as nossas reivindicações para a Subprefeitura, ao Nabil Bonduki e ao Prefeito Haddad, vemos um atendimento sucateado e desacreditado pela população:
 
 

8. Preparatória para a reunião na 4ª feira, 04-02-2015.
na reunião promovida pelo nosso Conselho Participativo Municipal podemos esperar muito ruído de moradores e comerciantes descontando a sua raiva. Sugiro no entanto que nos prepararmos com falas objetivas e questionamentos ao poder público: por que não fomos considerados em 2015 e quais medidas serão tomadas. Idealmente, todas as denúncias na reunião devem ser feitas com cópia por escrito aos nossos cuidados, servindo como prova para qualquer ação posterior.
 
IMPORTANTE - Precisaremos emprestada uma câmera gravadora com memória e bateria para pelo menos 3 horas de autonomia.
 
9. Nossa Candidata para o CMPU
 
Conforme o convite abaixo, no dia 15 de março, um domingo, ocorrerão na Subprefeitura de Pinheiros, novas eleições para o Conselho, e a associação AMadá, representada por nossa colega, Angela Campo, integra uma das chapas no segmento 'Associações de bairro'.
 
A Angela é militante no bairro pela a qualidade de vida dos Paulistanos e apoiou fielmente todas as campanhas do SOSsego Vila Madalena, por favor não deixem que outra entre no seu lugar!
 
abraços,
 
Tom Green,
 
(11) 3814-3799

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Informe SOSsego Vila Madalena nº130 - Nabil Bonduki e urbanismo de novela.

Boa noite Vizinhos,
 
Doa a quem Doer.
 
1. A repercussão da nossa divulgação das atrocidades promovidas pela Prefeitura de São Paulo no Carnaval já esta gerando mudanças, pois na 6ª feira, conforme publicado no diário oficial da cidade, o prefeito Fernando Haddad exonerou uns dos responsáveis pela organização do evento, o chefe de gabinete da Secretaria de Cultura, Guilherme Varella.
 
Mesmo recebendo as nossas nossas reivindicações protocoladas em setembro do ano passado, com 1424 assinaturas, o Guilherme falou em entrevista, ao G1, no dia 29-01-2015 que "a Vila Madalena tem uma atenção especial em relação ao trânsito, em relação a segurança""todas as demandas dos moradores foram assimiladas".
 
Agora restou a questão da responsabilidade do seu superior:
 
Em entrevista na Rádio Bandeirantes no dia 17 de fev na rádio Bandeirantes (altura 41minutos) O secretário de cultura Nabil Bonduki tenta nos convencer de que a Rede Globo e a novela Vila Madalena de 1999 são responsáveis pelos males no bairro. 
 
Na sua entrevista na Carta Capital no dia 19-02-2015  http://www.cartacapital.com.br/sociedade/nabil-bonduki-derrubar-resistencia-espaco-publico-7966.html Nabil diz que
 
"O carnaval foi muitíssimo bem sucedido, com pouquíssimas ocorrências e brigas. Foi muito bonito, havia blocos com bandinhas de pessoas do próprio bairro... é um processo por meio do qual as pessoas vão se acostumando a usar o espaço público“....
 
"De fato há exageros em áreas com muita concentração de pessoas, isso gera a resistência na população local. A Vila Madalena é o foco principal desse problema, e o que acontece lá ganha muito destaque na imprensa. A questão, entretanto, está restrita a uma área de seis a oito quarteirões em uma cidade com milhares de quarteirões. É um fato extremamente localizado, muito amplificado pela mídia".... 
 
"Toda mudança gera resistência, mas a maioria da população da cidade apoia o Carnaval de rua. Temos problemas locais a serem enfrentados. Sempre existe, contudo, um mau-humor em relação a manifestações públicas, fruto do conservadorismo de São Paulo”, avalia o urbanista. E conclui: “é fundamental uma articulação para um maior entendimento do que significa usar o espaço público e, assim, derrubar essa resistência”...
 
Percebemos novamente não apenas um discurso político e populista jogando pobre contra burguês, mas sua insistência de promover um evento que causa danos permenentes à fragilizada população moradora tradicional, marginalizada e carente, esmagada e expulsa pela incessante sede da privatização, politização, e invasão do espaço público durante nada menos que 6 semanas consecutivas.
 
2. Outra mentirinha sendo promovida pela secretaria de cultura é da quantidade de blocos no bairro, que em diversas ocasiões citam com sendo "apenas" 37, porém foram divulgados mais de 67 desfiles nas imediações no site da Prefeitura passando de 100 desfiles se for contar com os informais.
 
3. Por completar dizem que não promovem a festa, mas no arquivo do Diário Oficial em anexo consta cachê rolando solto para seus amigos.
 
Desta forma perguntamos para nosso Prefeito se a responsabilidade pelo ocorrido deve restar apenas ao Guilherme Varella que cumpria ordens ou caberia ao seu superior?
Um abraço,

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Informe SOSsego Vila Madalena nº129 - o CPM e MP convidam ao bairro renascer das cinzas

Bom dia Vizinhos,
Na quarta-feira das cinzas o bairro não "renasceu das cinzas", conforme a constatação do promotor Dr. Maurício Ribeiro Lopes na reunião no MP do dia 04 de Fevereiro, pois teremos ainda mais dois finais de semana de farra para aguentar.
Segue abaixo a chamada recebida pelos nossos representantes eleitos do Grupo de Trabalho do Carnaval de Rua do Conselho Participativo de Pinheiros convidando a comunidade para levantar os "acertos e erros" do carnaval com o promotor do MP Dr. Mauricio Ribeiro Lopes na quarta-feira, dia 4 de março, às 19:00 na Subprefeitura de Pinheiros.
Para quem recebeu os "acertos" dos vândalos e hordas bêbadas representa mais uma humilhação de ter que ajoelhar pedindo nacos na Subprefeitura de Pinheiros, enquanto as nossas reivindicações protocoladas em setembro 2014 com 1424 assinaturas, que já previam todos os "erros" cometidos, foram tratadas como se fossem jornal para forrar a louça na mudança dos que estão colocando as suas casas à venda.
- a reunião, com a presença dos blocos, promete ser acalorada, pois foi ali sobe ameaças de "quem não queria iria se danar", que nasceu o carnaval 2015 e deve "renascer das cinzas" o carnaval de 2016.
Tem que admirar, eles não desistem mesmo mas, como o provérbio mineiro diz, "de sementes mal plantadas nascem frutas podres".
Abraços,


O GT Carnaval 2015 na Vila Madalena convida a todos para o encontro Pós Carnaval para levantamento dos erros e acertos ocorridos durante o evento.

DATA - 04 MARÇO
HORA - 19:00 
LOCAL - SUBPREFEITURA PINHEIROS (Av. Frederico Herman Jr., 595)

Já está confirmada a participação de:
Subprefeito - Angelo Filardo
Promotor de Justiça - Dr. Mauricio Ribeiro Lopes
Representante Sec. Cultura - Zé Mauro

Ainda por confirmar a participação de:
Representante Polícia Militar -
Representante CET - 

Por favor, retransmitam o convite as vizinhos, a participação da comunidade é muito importante.

Atenciosamente,

GT Carnaval 2015 na Vila Madalena
(Cassio Calazans // Leo Gola // Madalena Buzzo)

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Informe SOSsego Vila Madalena nº127 - mais uma noite de medo para a vila madalena

Bom dia Vizinhos,
1. O moradores da Vila Madalena tiveram mais uma noite de medo no sábado de Carnaval. Ficamos sitiados em casa, então não pude filmar as outras ocorrências relatadas, mas pelo nosso camarote blindado, deu para tirar umas lindas tomadas do povo exercitando seus novos direitos sobre o espaço público.

2. Je suis MORADOR
O número de foliões atraídos pelos blocos não foi o último recorde atingido, pois graças à atuação da comunidade, o nosso "videozinho" de 6ª feira 13 viralizou e já passou de 20 mil visualizações em dois dias. A repercusão na mídia foi igualmente expressiva e finalmente conseguimos que a nossa causa recebesse a devida atenção.

Já pagamos muito caro pela farra da privatização do espaço público no bairro, que sejam idosos, crianças, trabalhadores, frequentadores, muitos que já foram expulsos da Vila Madalena, foram privados dos seus direitos, com sua saúde comprometida ou até morreram sem ter paz.
A Prefeitura deveria ter aprendido a lição da Copa e atendido às nossas recomendações, democraticamente protocoladas em setembro do ano passado. Agora terão que assumir a responsabilidade "doa a quem doer".

De acordo com a cópia em anexo do relato sobre a sexta feira 13 obtida pelo site da Prefeitura, "não foram registradas ocorrências graves"... Também consta que tinham apenas 21 fiscais da CET disponíveis para as regiões central e Vila Madalena, que considero uma confissão pública do seu total despreparo como anfitriã de um dos maiores carnavais de rua do país.
3. Precisamos que vocês moradores e comerciantes continuem enviando seus relatos de ocorrências para que publicamos no blog de forma anônima e vamos protocolar na reunião devolutiva no Ministério Público depois do carnaval.
4. Só para o Inglês ver
No dia 06 de Fevereiro, a Prefeitura publicou no diário oficial, como consequência da reunião no MP, o seguinte protocolo que estabelece a criação de uma "força tarefa".
Nosso entendimento é que a medida é paliativa e superficial, pois concentra-se tão somente aos blocos, apenas uma parte do problema e ignora as nossas outras reivindicações, que dirigiam à atuação da prefeitura, seus parceiros econômicos como promotores, responsáveis pela festa, e das diversas consequências à comunidade.
Aparentemente a Prefeitura faz uso político da cultura do carnaval legítima, jogando a comunidade "elitista conservadora" contra os blocos, polemizando a questão.
Pelo decreto do carnaval, os blocos já podem fazer quase qualquer coisa, e terão ainda direito de uma "ampla defesa".
O próprio fiscal sobrecarregado da prefeitura será responsável pelo encaminhamento das "irregularidades" e não são definidas penalidades.
Segundo orientações recebidas para encaminhar as reclamações sobre os blocos, devemos ir pessoalmente para o posto de fiscalização (onde tentamos por diversas vezes reclamar sobre pancadões sem atendimento) ou enviar  e-mail para o sobrecarregado Subprefeito Sr. Angelo Filardo afilardo@prefeitura.sp.gov.br
As demais reclamações podem ser enviadas para carnavalderua@prefeitura.sp.gov.br ou pelo telefone 156, SAC da Prefeitura.
Desejo paz segurança e descanso a todos,

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Informe SOSsego Vila Madalena nº126 - vândalos correm soltos no carnaval sexta feira 13

Bom dia Vizinhos.
Segue o link do vídeo gravado ontem e hoje de madrugada, que mostra novamente nosso bairro sitiado a mercê de gangues de vândalos correndo soltas, pancadões até o amanhecer, e blocos fora de horário debochando da comunidade. Tudo isso sem qualquer sinal do poder público.

Até quando a Secretaria de cultura e a Subprefeitura promoverão estes absurdos, permitindo que mais de 100 desfiles ocorram no bairro?
Tem que morrer 200 igual em Santa Maria?
Em qualquer país civilizado, os responsáveis teriam que entregar seu cargo, mas aqui eles continuam promovendo com tranquilidade o seu programa eleitoral de ocupação do espaço público a todo custo.
Por favor mandem as suas denuncias para os nossos vereadores na lista abaixo e para o e-mail do Dr. Mauricio Ribeiro Lopes que tratou com o nosso caso no MP: MariaSRibeiro@mpsp.mp.br
Abraços,

SOSsego Vila Madalena

conte lopes PTB ; claudinho de souza PSDB ; aurelio nomura PSDB ; aurélio miguel PR ; atílio francisco PRB ; arselino tatto PT ; ari friedenbach PROS ; antônio goulart PMDB ; andrea matarazzo PSDB ; alfredinho PT ; adilson amadeua PTB ; abou anni PV ; coronel Camilo PSD ; coronel Telhada PSDB ; Dalton Silvano PSD ; David Soares PSD ; Donato PT ; Dr. Calvo PMDB ; Edir Salles PSD ; Eduardo Tuma PSDB ; Eliseu Gabriel PSB ; Floriano Pesaro PSDB ; George Hato PMDB ; Gilberto Natalini PV ; Gilson Barreto PSDB ; Jair Tatto PT ; Jean Madeira PRB ; José Américo PT ; José Police Neto PSD ; Juliana Cardoso PT ; Laércio Benko - PHS ; Marco Aurélio Cunha PSD ; Mario Covas Neto PSDB ; Marquito PTB ; Marta Costa PSD ; Milton Leite DEM ; Nabil Bonduki PT ; Nelo Rodolfo PMDB ; Noemi Nonato PSB ; Netinho de Paula PCdoB ; Ota PSB ; Pastor Edmilson Chaves PP ; Patrícia Bezerra PSDB ; Paulo Fiorilo PT ; Paulo Frange PTB ; Reis PT ; Ricardo Nunes PMDB ; Ricardo Young PPS ; Roberto Tripoli PV ; Sandra Tadeu DEM ; Senival Moura PT ; Souza Santos PSD ; Toninho Paiva PR ; Toninho Vespoli PSOL ; Vavá dos Transportes PT

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Informe SOSsego Vila Madalena nº124 - A copa do mundo voltou

Boa tarde Vizinhos,
1. Depois de um ano de planejamento, incontáveis reuniões em todas as esferas municipais, r$4 milhões gastos dos nossos impostos, mais r$500mil da Caixa Econômica Federal, e muitas promessas, a organização do primeiro final de semana "light" do carnaval na Vila Madalena fracassou em quase todas as frentes.
-Não houve fiscalização das rotas de fuga:

-Não houve fiscalização da altura dos carros de som:

-Não houve fiscalização dos ambulantes.

-Não houve fiscalização do PSIU.

-Não houve fiscalização dos horários dos bares.
-Naõ houve banheiros químicos que acabassem com os mijões.

-Não houve segurança para os moradores e comerciantes.
-Não houve direito de ir e vir.
-Não houve hora para acabar a festa.
Em consequência vários pontos do bairro viraram pancadões violentos de mudrugada adentro, iguais aos que conhecemos durante a copa, conforme documetadas em diversas filmagens feitas pelos nossos integrantes, a primeira delas já postada no nosso canal no YOUTUBE: (por favor compartilhem)

Estamos documentando reclamações em bairros até antes sossegadas com o da Vila Beatriz:

"VC deve estar a par das noticias sobre o bloco casa comigo e tudo que aconteceu na rua Judite e Beatriz...foi o caos, um absurdo e agora com Olla e Skol patrocinando, foram confirmados 19000 pessoas no Facebook e acho que atingiu esse valor ou mais....o lixo pelas ruas, xixi, garrafas de vidro, enfim, uma cena de terror. Varias irregularidades foram feitas, como uso do carro de som,  fechamento da rua, horário limite excedido, enfim, a baderna foi profissional. Fiquei hospedado em um hotel, pois estava cansado e tentei voltar as 20:00, e as ruas estavam intransitáveis, inclusive a CET fechou uma das ruas principais, a Tabocas pelo volume de pessoas. Em alguns canais da imprensa noticiaram que 4 quarteirões da rua Paschoal Vita ficaram bloqueados, impossibilitando seus moradores de sair de casa e pior, nenhum deles foi avisado. A noite, as 3:00 o pessoal da limpeza gritava pela rua, as 3:30 o caminhão de agua para lavar a rua(com essa racionamento ė um absurdo), 4:00 segunda varredura da rua, 4:30 caminhão de entulho para retirada do material pesado, 5:00 retirada dos cavaletes e os baderneiros conversando na rua como se fosse 12:00, RESUMINDO, dormi 3 horas essa noite" 
2. Enquanto no Rio de Janeiro o Bloco da Bangalafumega cancelou seus desfiles em virtude dos mijões. Porém em São Paulo, a meca da ocupação do espaço público, no próximo sábado, dia 7, estarão irrigando o bairro conforme o prometido no site da prefeitura, com público previsto de 50 mil foliões e reforço de mais 65 mil previstos para o Sargento Pimenta (dados GT do carnaval do CPM).
Supondo que venham "apenas" 50 mil para a festa e que cada um beba apenas 4 latas de cerveja - isso daria 70 mil litros de xixi e 466 banheiros químicos; porém a prefeitura tem apenas 900 para cidade inteira e os blocos com seu suprimento de cerveja são intineirantes, enquanto os banheiros químicos permanecem fixos.
Desta forma, as promessas do bloco encaminhadas ontem pela nossa representante eleita no Conselho Participativo, e defensora da ocupação do espaço público alheio, Madalena Buzzo, soam como "faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço":
"Caros,
O Bangalafumenga segue firme e forte em São Paulo, cumprindo tudo o que foi combinado com a Subprefeitura e com todos nós e seu discurso no trio será:
Vamos respeitar as residências.
Não urinar pelas ruas, postes, árvores, muros
Lixo
Evitar garrafas/Não portar garrafas de vidro, além do perigo de quebrar e cortar os pés, há perigo de intoxicação das garrafas mea abertas
Crise hídrica
uso adequado do espaço público
uso de camisinha,
Não consumir sacolés : tivemos intoxicações graves no ano passado,
Não impedir passagem de veículos oficias, viaturas, bombeiros, carros da CET e da prefeitura"

 
3. Em face de tanta cegueira na parte dos nossos representantes que confundem fantasia de carnaval com a realidade, temos o dever de comparecer em força na audiência pública no Ministério Público amanhã, dia 04 de Fevereiro às 9h, no Auditório Queiroz Filho, sito à Rua Riachuelo, 115.
Ainda há uma chance de que o MP mostre os seus dentes, apoiando a nossa representação, pois uma simples postagem nos sites dos blocos e da prefeitura é o que basta para evitar a morte anunciada do nosso bairro.
Até amanhã,

Abraços,

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Informe SOSsego Vila Madalena nº123 - Nabil entrega mais de 85 desfiles para Vila Madalena

Boa noite Vizinhos.
1. O maior carnaval de todos tempos.


Hoje nosso novo secretário de cultura Nabil Bonduki, lançou o Guia dos Blocos de Carnaval de Rua de São Paulo de 2015 e seu "Plano de Apoio" no site da Prefeitura  http://www.capital.sp.gov.br/portal/noticia/5275 .
Teremos oficialmente na Vila Madalena 85 desfiles de 67 blocos, versus os 37 blocos do ano passado.
“O nosso Carnaval é público, aberto e é um processo que tem surgido espontaneamente na cidade e tem hoje uma dimensão muito significativa. Tem aqueles que participam, tem aqueles que não participam. O nosso objetivo é garantir que estrutura para quem quer participar e criar as condições para quem não participa também possa ter o seu descanso e usufruir da cidade”
Esclarecemos já para o Ministério Público que a constante promoção pela atual prefeitura do Carnaval de rua e da ocupação do espaço público pode ser considerada tudo menos espontânea. Ademais fantasiosa é a ideia de que, mesmo investindo mais de  R$ 4 milhões na festa e recebendo "patrocínio" de R$ 500 mil da Caixa Econômica Federal, existe a possibilidade de "criar as condições para quem não participa também possa ter o seu descanso e usufruir da cidade” e demonstra descaso típico com os cidadãos que esperam uma atitude mais responsável com nossos representantes eleitos e servidores públicos.
A festa nem começou ainda e já passou dos limites para muitos moradores e comerciantes do bairro, como foi constatado no novo vídeo postado no nosso canal da YOU-TUBE.


Temos mais três filmagens do mesmo dia para publicar que demonstram claramente a degradação que termina num pancadão sem limites à 1:30 da madrugada, acontecimento comum de todo final de semana no feudo cultural da Vila Madalena.
Para piorar a Prefeitura diz que "o planejamento foi realizado a partir do diálogo com os organizadores dos blocos, com associações de moradores" . O "dialogo" é outro termo usado muito pelo secretário de cultura e pela Prefeitura para descrever suas intermináveis reuniões pseudo-participativas que exploram a presença dos cidadãos como carta branca para atender os interesses dos seus amigos, ao custo dos direitos dos que não concordam.
A declaração da prefeitura termina prometendo "a proibição de carros de som ou trios elétricos com altura superior a quatro metros" que realmente foi o fim da picada, pois qualquer idiota sabe que no porta-malas de um carro popular cabe o poder de fogo de provocar surdez permanente, assim contrariando a lei federal que proíbe carros de som e ignorando mais uma das nossas reivindicações protocoladas com abaixo assinado de 1424 assinaturas.


3. A água vai Sambar
O Veredaor Gilberto Natalini pediu na TV da câmara a suspensão do carnaval em São Paulo em virtude da crise hídrica: (veja as falas nos minutos 7 e 12)
Mas o Nabil Bonduki logo descartou o apelo dizendo que “o Carnaval não vai aumentar o consumo de água. É fora de propósito achar que vai afetar algo”.
Segundo ele, mesmo com a chegada de foliões de outros lugares do Brasil para a festa de São Paulo, não haverá um impacto significativo na rotina da cidade em relação ao uso da água.
Porém Nabil, não tão conhecido pelas suas políticas sustentáveis pode estar errado pois já existem 3 cidades em Minas Gerais que fizeram exatamente isso.
Os sábios Mineiros diriam que "O pior cego é o que não quer ver" ou talvez "Santinho do pau oco"

3. Reunião no MP
A nossa representação no Ministério Público foi incluída nos autos do Inquérito nº 370/14 da 5ª Promotoria da Justiça que trata da "insuportabilidade de vida comum na Vila Madalena em virtude de ter se tornado reduto de boemia"  cujo promotor responsável é Dr. Mauricio Ribeiro Lopes.
Apesar da insistência de solicitar um encontro apenas com os nossos representantes, o Dr. Mauricio Ribeiro Lopes marcou uma reunião geral com o sub de Pinheiros, a Secretaria de Cultura, os blocos e a PM para às 9h, dia 04 de Fevereiro no Auditório Queiroz Filho, sito à Rua Riachuelo, 115.
Esperamos que a reunião não seja mais da mesma governança "participativa" que já conhecemos, pois quem sabe, ainda há uma chance de o MP mostrar os seus dentes após às constatações da nossa representação.
Por outro lado, no longo prazo pode ser melhor assim, pois agora temos um pé na porta do MP, assim facilitando em muito as outras denúncias que estamos devendo, vamos fundo.
Se não der certo, que tal a gente leva o nosso caso para a corte dos direitos humanos internacional?
Vamos adiante pois atrás seguem os blocos.
Abraços e até a 4ª feira,