SOSsego Vila Madalena

Minha foto
Vila Madalena, São Paulo, Brazil
o SOSsego Vila Madalena é um grupo de moradores do bairro que nasceu do grupo de trabalho “Diversidade e conflitos de Uso” criado na nossa Oficina do Bairro com Raquel Rolnik. o objetivo do grupo SOSsego é realizar ações e encaminhamentos junto às autoridades, para resgatar a nossa qualidade de vida prejudicada pelos excessos de uso recreacional nos bairros de Pinheiros. Somos moradores voluntários, sem interesse político. Desejamos um convívio harmonioso entre os setores comercial e residencial, para que desenvolvamos um COMÉRCIO SUSTENTÁVEL, a fim de reverter a degradação do nosso bairro. reunimo-nos regularmente na Paróquia de Sta. Maria Madalena, rua Girassol, 795. temos representantes constituídos na maioria das ruas do bairro, enviamos informes para os nossos membros por e-mail toda semana, e fazemos representações defendendo os nossos interesses em reuniões locais e no âmbito municipal. Temos feito abaixo assinado, petição, um mapeamento sonoro e debates.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Informe SOSsego Vila Madalena nº 142 - um rio de dinheiro verde

Bom dia vizinhos.
1. A indústria do Ruído
A nossa apresentação no dia 27 de abril, 2015, na Câmara Municipal durante a Conferência Municipal sobre Ruído, Vibração, e Pertubação Sonora teve um impacto muito grande:


Foi então com espanto e indignação que recebemos no dia 06 de maio o convite a seguir para um curso de treinamento de medição e mapeamento do principal patrocinador do evento a PRÓ ACÚSTICA. http://proacustica11.entregadeemails.com/ver_mensagem.php?id=H|847|186914|142782180285391200 .

O evento que custa r$700 por pessoa vai ser hospedado e tem o apoio do CENTRO CULTURAL RIO VERDE que há anos inferniza a vida dos moradores em volta pelo ruído emitido durante a madrugada, muito além do limite permitido.


 Situado na rua Belmiro Braga, em uma via cuja largura não permite tal atividade, as suas precárias instalações ao ar livre, sem condições edílicas para hospedar uma casa noturna, levaram muitas autuações da Prefeitura até finalmente receber alvará de funcionamento em 09-03-2013, gracejado pela anistia promovida pela gestão de Fernando Haddad.

Mesmo assim, em 18-05-2013, o CENTRO CULTURAL RIO VERDE foi autuado no valor de r$34.500 por manter o local aberto após a uma hora (lei 12.879/99), só para ser isentado do pagamento em 11-07-2013.

Só podemos imaginar que a PRÓ ACÚSTICA visa ganhar muito dinheiro vendendo vidro anti-ruído nos apartamentos da EVEN, projetados para construir na rua Belmiro Braga em cima dos lares que foram abandonados em função do ruído infernal.

2. Um rio de dinheiro verde

Mas existem outros interesses político econômicos no bairro, todos ligados por um rio de dinheiro verde correndo debaixo do solo.

Atores influentes e poderosos do bairro como Otávio Zarvos, Gilberto Dimenstein, Nabil Bonduki e o Centro Cultural Rio Verde tratam de doações partidárias, projetos de lei, investimentos imobiliários e planos de bairro, todos escoados com copiosa quantidade de cerveja, e música ao vivo.

O projeto do Parque Linear Córrego Verde já consumiu r$147 mil de compensação ambiental do Metrô em troca de árvores cortadas, e prevê uma gastança superior a r$9 milhões para sua implantação. Ninguém até agora sabe explicar como foi escolhido o escritório nova iorquino Davis Brody Bond para fazer o projeto, e sua relevância para a comunidade local é discutível, visto que os moradores no seu trajeto não foram consultados e já sofrem demais com impactos de vizinhança de ocupação do espaço.

O projeto visa a implantação de técnicas importadas e ambiciosas de difícil manutenção, que não resolverão em nada os problemas de drenagem. O seu trajeto (que talvez nem seja um fio de água) da Belmiro Braga, passa pelo beco do Batman, sobe a rua Medeiros de Albuquerque e termina no final da rua Abegoaria. Contemplam-se diversas intervenções culturais como um palco de eventos e rotas turísticas de ocupação do espaço público.


"Beco do Batman: espaço, antes, subutilizado, transforma-se em uma área para usos culturais, educativos e de lazer".....

Curiosamente o zoneamento em volta do parque linear foi alterado para acompanhar seu percurso, na minuta da nova Lei de Ocupação e Uso do Solo, liberalizando usos comerciais e permitindo prédios no dobro de altura, mesmo que nenhum morador do bairro pediu isso na consulta "participativa":

ZONEAMENTO ANTIGO x ZONEAMENTO NOVO:


3. Eleições CADES-PI

Certamente um dos temas para a próxima gestão vai ser o Parque Linear mas, infelizmente, devido à minha eminente expulsão do bairro não terei como concorrer novamente nas eleições do CADES-PI marcadas para 26 de Julho.


Precisaremos encontrar um candidato/a confiável e competente para zelar pelos interesses do nosso pedaço até o encerramento das inscrições dos candidatos em 30 de Junho 2015. 

Abraços,


segunda-feira, 13 de abril de 2015

Informe SOSsego Vila Madalena nº 140 - zoneamento e incomodidade

Bom dia vizinhos.
1. Relato da reunião do Debate sobre a Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo (LUOS), terça feira, 07 de abril.
Com presença do Secretário Fernando Mello Franco e a participação dos nossos amigos Ivan Maglio, Lucila Lacreta e Regina Monteiro.
Os três palestrantes tinham duras críticas sobre a nova Lei de Uso e Ocupação de Solo.
Seguem alguns extratos da reunião que se relacionam com os nossos problemas da Vila Madalena, especificamente a fala da Regina Monteiro, que acompanhou os sucessivos planos diretores e revisões de zoneamento cedendo para interesses alheios e premiando infratores com anistias.

2. Reunião Ordinária CADES-PI quarta feira, 08 de abril com presença da nova Subprefeita Harmi Takiya.
Foi nota 10 para nossa nova representante na Subprefeitura, que logo colocou a reunião em ordem, depois de 2 anos parecendo uma sala de aula da USP.
Esperamos que a sua autoridade e experiência sejam do tamanho do caos deixado pelo seu antecessor.
Um dos trabalhos mais conhecidos da Sra. Harmi foi a Lei da Cidade Limpa enquanto era vice presidente de Paisagem Urbana da SMDU e na COMISSÃO DE PROTEÇÃO Á PAISAGEM URBANA (CPPU) junto a Regina Monteiro, uma das palestrantes citadas acima. Resumindo: aparentemente estamos em boas mãos...
Devida à aproximação das eleições e final da minha gestão como conselheiro, fizemos uma apresentação dos trabalhos do nosso GT de Ruído, Saúde Pública e Conflitos de Vizinhaça. O trabalho foi bem recebido e agora vamos tentar enviar algumas recomendações para o CADES central:
3. - 2ª conferência Municipal sobre Ruído, Vibração, e Perturbação Sonora -nos dias 27 e 29 de abril teremos um encontro inadiável na Câmara municipal, que fica ainda mais oportuno com o envio da nova Lei de Uso e Ocupação do Solo. A nossa vizinha e urbanista Lucila Lacreta vai estar representando o bairro e pode contar com filmagens do SOSsego Vila Madalena como apoio na sua apresentação no Painel 2 | Incomodidades: a convivência com todas as naturezas de poluição sonora, o diálogo e as soluções, dia 27 de abril.
4. Segue um convite recebido pelo nosso conselheiro eleito do CPMU, Sérgio Reze para uma reunião sobre o LUOS, hoje, segunda feira, dia 13 de abril, às 19h no INSTITUTO BIOLÓGICO Avenida Conselheiro Rodrigues Alves, 1.252 .
Abraços, 

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Informe SOSsego Vila Madalena nº 138 - pegadinha 1º de abril!

Boa noite vizinhos,
 
pegadinha de 1º de abril.
 
Hoje acordamos com uma ótima notícia.
 
Na minuta do novo zoneamento, publicada ontem à noite, nos parâmetros de incomodidade, o nível de ruído permitido nas zonas mistas do bairro e na cidade abaixou em 5db's!
 
Teremos agora 3 faixas de horário, ao invés de duas, mas antes de celebrar, cabe estudar os mapas e tabelas a seguir (obs. a prefeitura não dispõe no site o mapa do zoneamento antigo então temos emprestado um dos empreiteiros).
 
Pois não, é 1º de abril e fomos pegos, pois quem mora próximo ao metrô ou os milhares que tiverem seu zoneamento alterado de maneira arbitrária do dia para noite ganharam mais 5 dB no período noturno nas novas zonas ZC e ZEU que antes eram zonas mistas ou nas ZCORs que eram zonas residências.
 
Parabéns para os que foram pegos e obrigado pelo futuro sacrifício do seu sono e bem estar, pois vale lembrar - é tudo por uma boa causa, para o bem da função social da cidade....
 
Nada impede que durante os debates na câmara os ganhos na zona mista também sumam, mas de qualquer modo, recebemos um presente de grego, pois apesar de ter um monte de proposta de fiscalização de estabelecimentos incômodos, não terá nenhuma obrigação de fiscalizar, então fica na mesma, pois depois do carnaval e das ciclovias, não sobrou um centavo para o PSIU!
 
E não para por aí, pois teremos uma liberalização geral de uso comercial, novos corredores ZCOR adentro das áreas residenciais, e muitos prédios, muito altos em toda parte, para trazer mais trânsito e mais problemas de adensamento / impactos de vizinhança.
 

LIMITES DE RUÍDO NOVO ZONEAMENTO:
 


ZONA (c) (d) (e)
 Nível de Ruído  Máximo para Ambiente Externo dB (f)
Emissão de ruído das 7h às 19h
Emissão de ruído das 19h às 22h
Emissão de ruído das 22h às 7h
TRANSFORMAÇÃO
ZEUs

ZEU
60
55
50
ZEUa
ZEUP
ZEUPa
ZEMs
ZEM
ZEMP
QUALIFICAÇÃO
ZCs
ZC
60
55
50
ZCa
ZC-ZEIS
ZCORs
ZCOR-1
55
50
45
ZCOR-2
ZCOR-3
60
55
50
ZCORa
55
50
45
ZMs
ZM
50
45
40
ZMa
60
55
50
ZMIS
50
45
40
ZMISa
60
55
50
ZEISs
ZEIS-1
50
45
40
ZEIS-2
ZEIS-3
55
50
45
ZEIS-4
50
45
40
ZEIS-5
55
50
45
ZDEs
ZDE-1
60
55
50
ZDE-2
65
60
55
ZPIs
ZPI-1
65
60
55
ZPI-2
PRESERVAÇÃO
ZPR
ZPR
50
45
40
ZERs
ZER-1
50
45
40
ZER-2
ZERa
ZPDSs
ZPDS
50
45
40
ZPDSr
ZEPAM
ZEPAM
50
45
40
ÁREAS PÚBLICAS
Verdes
AVP-1
50
45
40
AVP-2
AVP-3
Institucionais
AI
60
55
50
AIa
50
45
40
ÁREAS ESPECIAIS
Clubes
AEC-1
50
45
40
AEC-2
 
LIMITES DE RUÍDO ANTIGO ZONEAMENTO:
 
ZER
das 7h às 19h =50dB
das 19h às 7h =45dB
 
ZM
das 7h às 19h =65dB
das 19h às 7h =45dB
 
ANTIGO ZONEAMENTO x NOVO ZONEAMENTO 
 

 



domingo, 29 de março de 2015

Informe SOSsego Vila Madalena nº 137 -a desapropriação do espaço público

Boa noite vizinhos.
 
1. novo Lei de Uso e Ocupação do Solo (LUOS)
 
Segue o link de um requerimento enviado para o Ministério Público pela nossa nova representante eleita para a CMPU, a Ângela da AMadá, questionando por que as reivindicações do bairro nas reuniões da prefeitura da nova lei de uso e ocupação do solo (LUOS) não foram contempladas na minuta da Lei, que vai ser encaminhada em breve para a Câmara dos Vereadores.
 
Aparentemente temos uma associação de bairro atuante, zelando pelos nossos interesses, e não interesses alheios.
 
Segundo informações recebidas, a prefeitura vai fazer apenas "apresentações" do texto nas próximas reuniões, pois tudo foi combinado atrás de portas fechadas, atendendo interesses corporativos e políticos, desconsiderando as reivindicações das associações de bairro e dos conselheiros da CMPU.
 
Outro texto recebido foi um requerimento enviado para a Comissão de Política Urbana Metropolitana e Meio Abiente (legislativa) pela associação AME JARDINS, questionando a falta de transparência da prefeitura durante o "processo participativo" do novo PDE e da LUOS.
 
Agora teremos que lutar pelos nossos direitos na Câmara dos vereadores, e a Ângela da AMadá, junto os outro novos conselheiros do CMPU que ajudamos a eleger estarão nos apoiando.
 
-não vai ser fácil e, sem o apoio da comunidade, impossível, portanto devemos marcar uma reunião logo após a Páscoa para mostrar as forças.
 
2. Mais uma pedalada.
 
A aprovação das ciclofaixas em São Paulo continua em alta, mas há quem questione os gastos e falta de projeto.
 
A briga agora tem um novo combatente, pois o vereador mais verde de São Paulo, Gilberto Natalini, que sempre apoiou os ciclistas, logo que a TJ liberou as obras, entrou no MP com outro inquérito  .
 
Pelo que parece, não somos os únicos que cansaram com o urbanismo de gibi do beco do batman ao super homem:
 

 
Falando sério pessoal, a bicicleta é um meio de transporte importante mas não resolve a questão da mobilidade urbana para a maioria dos 15 milhões de habitantes de São Paulo.
 
Eu pedalava 16 km para ir e 16 km para voltar da escola (sem roupa de super herói) no interior de um país que, de modo geral, respeita o ciclista, mas será que São Paulo está pronta para isso?

Cadê o transporte coletivo de qualidade, e por que o novo Plano Diretor Estratégico apostou no adensamento não sustentável como solução para desafogar a cidade?

Vai levar mais do que tinta vermelha para sair dessa!
 
3. Continuamos documentando a reunião devolutiva do Carnaval, e seguem mais dois depoimentos:
 

 
-Uma moradora integrante do SOSsego pergunta ao ex Subprefeito quantos dias tem o carnaval?
Por que tem que ser 5 semanas?
Já que a Prefeitura diz que não tem controle, então faça algo menor e seus problemas serão menores.
A sua casa também foi apedrejada mas a polícia não tinha como chegar.
Ela termina com a constatação de que tem que ter no bairro o que é normal de ter.
Tem que ter a devida fiscalização o ano inteiro.
 

 
-Uma moça organizadora de bloco assustada com o caos que rolou na Vila Madalena, recusou de chamar de "bloco" "trio elétrico do Rio que chama 50 mil pessoas para a Vila Madalena" -"não tem vergonha, se venderam"...
 
No entanto, na imprensa, a nossa urbanista revolucionária Raquel Rolnyk continua associando as "delícias do carnaval "(informe SOSsego nº134) com outras ocupações como das hortas urbanas e ciclovias:
 
Ela lembra o abandono dos espaços coletivos nos anos 1990, quando proliferou o modelo de shoppings centers, condomínios e áreas de lazer fechadas.
“Essa retomada é a coisa mais importante que aconteceu em São Paulo nas últimas décadas. E ela não está só na apropriação dos lugares públicos, nas hortas e blocos de carnaval. Está também na luta pelos transportes não motorizados, na diminuição do espaço dos carros, no aumento da oferta de espaços para o cidadão".
 
Só que Raquel nos seus estudos não atentou pelo alto custo dos aluguéis nos bairros "gentrificados", do efeito de uma ciclofaixa na frente do seu negócio, ou de um carnaval permanente capaz de quebrar o próprio comércio de rua que gosta tanto.
 

Mesmo o prefeito Haddad e o seu secretário Nabil Bonduki parecem desprezar as seus origens como filhos de comerciantes, enquanto enfrentamos a pior crise econômica desde a do Collor, insistem em redesenhar a cidade apenas para atender interesses muito particulares.

Que os incomodados se mudem, ou quebrem.
 
Abraços,